McCain defende mudança de opinião sobre plataformas de petróleo

REUTERS

LOS ANGELES - Ao fazer campanha na Califórnia, um Estado norte-americano tradicionalmente preocupado com as questões ambientais, o candidato do Partido Republicano à Presidência dos EUA, John McCain, defendeu sua decisão de mudar de postura e passar a apoiar a extração de petróleo em plataformas marítimas.

Na segunda-feira, durante eventos realizados em Santa Barbara e em Fresno, McCain disse acreditar que havia tomado a decisão correta em um momento no qual o preço da gasolina bate recordes de alta. Mas ressaltou que caberia a cada Estado norte-americano decidir sobre se deseja ou não realizar a extração de petróleo no mar.

McCain viu-se confrontado com sua mudança de postura em um evento improvável uma arrecadação de fundos de campanha em Santa Barbara. Um participante do evento, Dan Secord, perguntou se o candidato conseguiria competir na Califórnia com seu adversário do Partido Democrata, Barack Obama, ao defender as plataformas marítimas de petróleo.

- Por estas bandas, nós nos sentimos realmente nervosos com os vazamentos de petróleo e nos sentimos nervosos com a idéia de haver extração de petróleo em terras federais, algo abundante na costa do Estado - afirmou Secord a McCain.

O republicano respondeu acreditar que cada Estado tem o direito de tomar essa decisão e citou os casos do Texas e da Louisiana, que enfrentaram furacões em 2005, mas não registraram derramamento de petróleo no mar.

- Eu acredito que, em vista da situação ambiental de hoje, poderíamos provavelmente fazer isso - afirmou McCain. - Mas não desejo passar por cima do Estado da Califórnia.

A crise de energia nos EUA toma conta da campanha presidencial à medida que os norte-americanos, acostumados a pagar pouco pela gasolina, enfrentam preços de 4 dólares o galão desse combustível, o que não apenas tornou mais cara a ida diária ao trabalho como fez aumentar os preços de produtos e serviços.

McCain acredita ter uma chance de conquistar a Califórnia (um Estado geralmente mais próximo dos democratas) nas eleições de novembro e tenta atrair os eleitores independentes em meio a seus esforços.

Mas os democratas tentam usar a mudança de atitude do republicano a respeito das plataformas marítimas para descrevê-lo como alguém que, se eleito presidente, apenas daria continuidade às políticas do atual dirigente norte-americano, George W. Bush.

A questão persegue McCain enquanto o candidato, na Califórnia, dá destaque a suas propostas para o meio ambiente. Na segunda-feira, o republicano realizou uma entrevista coletiva em Fresno com dois carros movidos a energia elétrica estacionados atrás dele.

E, no dia seguinte, McCain deveria participar de um evento conservacionista no Museu de História Natural de Santa Barbara.

O candidato diz que os EUA deveriam servir-se dos 21 bilhões de barris de petróleo em reservas conhecidas e atualmente intocadas devido a uma moratória federal sobre a exploração e a produção desse combustível no mar.