ONU e Bird apresentam planos para conter a crise alimentar

Agência AFP

ROMA - A ONU e o Banco Mundial (Bird) apresentaram nesta quarta-feira, em Roma, seus planos para conter a crise alimentar mundial e mobilizar urgentemente os fundos necessários.

- Não podemos fracassar. É uma luta que não podemos perder, a fome cria instabilidade e temos que reagir unidos e imediatamente - advertiu na reunião de cúpula da FAO o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

- O plano de ação deve ser colocado em prática urgentemente, milhões de pessoas esperam - acrescentou.

- É um assunto que afeta todo o mundo, consumidores e agricultores. Convido os líderes do mundo a se comprometerem aqui em Roma a lutar contra a fome conjuntamente com os países e as organizações da sociedade civil - completou.

A ONU considera que é necessário um esforço financeiro de US$ 15 bilhões a US$ 20 bilhões ao ano para combater a escalada dos preços, a maior das últimas três décadas.

Chefes de Estado e de Governo e representantes de 193 países debatem até quinta-feira, em Roma, um plano de ação contra a fome que afeta países da África, Ásia e América Latina pela escalada do preço dos alimentos.

Para o presidente do Bird, Robert Zoellick, é fundamental suprimir as barreiras comerciais às exportações, que estimulam o aumento do preço dos alimentos e afetam as populações mais pobres do planeta.

- Temos que fazer uma convocação mundial para que as restrições e as barreiras alfandegárias às exportações sejam eliminadas. Estes controles estimulam o aumento dos preços e afetam as populações mais pobres do planeta que lutam pelos alimentos - declarou Zoellick.