Yahoo negou acordo com Google antes de oferta da Microsoft

REUTERS

ESTADOS UNIDOS - Os executivos do Yahoo dispensaram um acordo sobre propagandas em buscas com o Google devido a preocupações com antitrust, um dia antes de a Microsoft fazer sua oferta de aquisição no início do ano, segundo apontam documentos jurídicos que vieram a público na segunda-feira.

A posição veio à tona numa queixa feita por procuradores representando dois fundos de pensão de Michigan num processo acionário que visa revogar as defesas de compra do Yahoo e pressionar a empresa a renovar as negociações de fusão com a Microsoft.

- Estamos concentrados em criação de valor no longo prazo em vez de ganhos no curto prazo - afirmou o documento do Yahoo preparado por executivos da empresa frente a uma reunião em 30 de janeiro um dia antes de a Microsoft fazer sua oferta.

Sobre a questão feita por funcionários sobre se o Yahoo deve terceirizar sua venda de anúncios em busca ao Google, os executivos prepararam-se para argumentar que qualquer ganho no curto prazo tiraria do Yahoo do caminho no longo prazo de se tornar uma necessidade para os anunciantes.

- Análises no curto prazo do potencial de receita da monetização da terceirização podem não levar em conta o impacto no longo prazo no mercado competitivo se a busca de tornar um monopólio eficaz - segundo mostra um trecho do documento. Monetização refere-se às vendas de anúncios relacionados a buscas.

Esses comentários parecem contrastar com a subsequente posição do Yahoo quando anunciou em 9 de abril estar conduzindo um teste com o Google, líder de mercado em buscas na rede e anúncios relacionados, para depender do rival para vender suas propagandas em buscas.