Khamenei nega acusações contra programa nuclear iraniano

Agência AFP

IRÃ - O guia supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, negou nesta terça-feira as acusações de que Irã tenta possuir armas nucleares afirmando que ter uma bomba atômica "não serve para nada".

- A nação iraniana não tenta ter armas nucleares - afirmou o dirigente em um discurso transmitido ao vivo pela televisão iraniana.

- Queremos energia nuclear com fins pacíficos para um uso diário e continuaremos nesse caminho, mesmo que isso desperte a inveja de nossos inimigos. Queremos firmemente alcançar este objetivo - declarou.

- Nenhuma nação dotada de sabedoria está interessada hoje em dia na fabricação de armas atômicas (...) as bombas atômicas não trazem benefícios porque não podem ser utilizadas. Os inimigos do Irã sabe que as armas nucleares não servem para nada - completou ainda o aiatolá.

- A nação iraniana é por princípio e por razões religiosas contra as armas nucleares - insistiu, acrescentando se sentir preocupado pelo risco de que grupos terroristas possam um dia ter uma bomba nuclear.

- Mais cedo ou mais tarde, os terroristas internacionais conseguirão armas nucleares e acabarão com a arrogância mundial e a segurança de todas as nações - afirmou.

Na véspera, o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o egípcio Mohamed ElBaradei, exigiu explicações do Irã sobre seu controvertidprograma nuclear, ao inaugurar em Viena uma reunião desse organismo da ONU.

Segundo informações arrecadadas pelos serviços de inteligência de dez países e transmitidas à AIEA, o Irã teria realizado no passado estudos que sugerem uma militarização de seu programa, especialmente com a fabricação de uma ogiva nuclear ou a adaptação do míssil Shahab-3.