Holanda lidera ranking de praias limpas na Europa

JB Online

BRUXELAS, BÉLGICA - As praias da Alemanha, Reino Unido e Portugal foram as que mais caíram no ano passado no ranking das praias mais limpas para os banhistas europeus, enquanto a Holanda novamente liderou a lista, segundo relatório da União Européia divulgado nesta semana.

Depois das praias holandesas, as mais bem situadas no ranking foram as gregas e cipriotas. Ao todo, as praias da União Européia (UE) não estiveram tão limpas em 2007 quanto em 2006.

Cerca de 95% delas foram consideradas aceitáveis - uma queda de quase um ponto percentual. Mas menos países que antes tiraram suas praias do ranking para evitar serem examinadas.

O topo do ranking foi ocupado pela Holanda, onde a água em todas as 86 praias testadas satisfez os critérios obrigatórios de higiene pelo terceiro ano consecutivo.

Em seguida vieram a Grécia, com 99,5%, e Chipre, com 99% das praias aprovadas.

As maiores quedas de qualidade da água foram registradas pela Grã-Bretanha (queda de três pontos percentuais, para 96,5%), Portugal (queda de três pontos percentuais, para 94,6%) e Alemanha (queda de quatro pontos percentuais, para 93,7%).

Um diplomata britânico em Bruxelas disse que a queda na limpeza foi causada em grande medida pelas piores enchentes dos últimos 60 anos, que, no verão passado, provocaram derrame de água de esgoto para o mar.

A Romênia, testada pela primeira vez no ano passado, viu 20% de suas praias serem consideradas abaixo dos critérios mínimos de limpeza.

O comissário de Meio Ambiente da UE, Stavros Dimas, disse que a Romênia e a Bulgária, também testada pela primeira vez e que teve índice de limpeza de 89,9%, obtiveram resultados muito melhores que muitos países mais ricos da UE quando começaram a realizar os testes.

Os países-membros da UE tiraram 143 praias, lagos e rios da lista de locais de banho examinadas, mas o número foi 44% menor que o de locais vetados em 2006.

Ao todo, os locais de banho marítimos na UE que satisfazem os critérios de higiene caíram quase um ponto percentual em 2007 em relação a 2006, para 95,2%. No caso dos rios e lagos, os números foram 88,7% aprovados em 2007, contra 88,8% em 2006.