Hillary evita admitir derrota para Obama na disputa democrata

REUTERS

NOVA YORK - A democrata Hillary Clinton evitou nesta terça-feira admitir a derrota para o rival Barack Obama na disputa pela nomeação para concorrer à Casa Branca e afirmou que se reuniria com líderes partidários nos próximos dias para saber como proceder.

A senadora por Nova York, 60, cumprimentou Obama, 46, e seus partidários 'por tudo que eles conquistaram', dizendo que disputaram uma corrida extraordinária pela nomeação presidencial democrata.

- O senador Obama inspirou tantos americanos a se importarem com política e possibilitou que muitos mais se envolvessem - disse ela a seus partidários.

- E nosso partido e nossa democracia estão mais fortes e mais vibrantes como resultado.

Ela se disse comprometida a unir o partido para a eleição presidencial em novembro contra o republicano John McCain, mas repetidamente falou sobre quase 18 milhões de eleitores que a escolheram em vez de Obama na batalha pela nomeação.

Hillary afirmou que se reuniria com líderes partidários nos próximos dias para saber o que fazer, mas que 'essa foi uma campanha longa, e eu não tomarei decisões hoje à noite'.

Obama conquistou a nomeação democrata na terça-feira, em uma rápida ascensão da obscuridade política para se tornar o primeiro negro a liderar um partido importante na corrida pela Casa Branca.

O aumento de apoio de delegados não comprometidos ajudou a dar a Obama os 2.118 votos de que ele precisava para chegar à nomeação e derrotar Hillary, a ex-primeira dama que entrou na corrida como favorita.

Obama será nomeado na convenção do partido em agosto e enfrentará McCain na eleição de novembro para suceder o presidente George W. Bush.