Obama vira membro de tribo e propõe nova política indígena

Jeff Mason, REUTERS

CROW AGENCY - O pré-candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, tornou-se nesta segunda-feira, membro honorário da tribo crow (corvo) e prometeu uma política mais ativa na ajuda aos indígenas norte-americanos caso seja eleito.

Os crow são uma tribo com cerca de 12 mil integrantes em Montana. Obama foi adotado por um casal chamado Hartford e Mary Black Eagle ('Aguia Negra'), e recebeu um nome que significa que 'o que ajuda todo mundo do lugar'.

No discurso, o candidato, que tenta ser o primeiro presidente negro dos EUA, tropeçou em alguns nomes nativos.

- Acabo de ser adotado pela tribo, então ainda estou treinando a pronúncia - brincou. - Gosto do meu novo nome: Barack Black Eagle. É um bom nome.

Muitos espectadores usavam cocares, e alguns bateram tambores antes da chegada do candidato. É a primeira vez que um candidato a presidente dos EUA visita a nação crow.

Obama está fazendo vários comícios em Montana, que realiza eleições primárias em 3 de junho. O Estado tem uma população de 60 mil índios, o que faz deles um eleitorado importante, segundo Dale Old Horn, 62 anos, porta-voz da tribo.

Obama prometeu nomear um assessor de políticas indígenas para a Casa Branca e se empenhar em melhorar o acesso dos índios à saúde e à educação.

- Poucos foram ignorados por Washington durante tanto tempo quanto os nativos americanos, os primeiros americanos - disse Obama.

Old Horn afirmou que vários membros da tribo se identificam com as origens de Obama. - Sua herança de ser pobre, ser marginalizado, são duas coisas em comum com a gente. Sempre fomos tratados como marginalizados no que diz respeito às políticas públicas. Além disso, todos somos pobres.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais