Obama diz que políticas de Bush fortaleceram Irã e Hamas

REUTERS

WASHINGTON - O pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama, favorito para ficar com a vaga do Partido Democrata nas eleições nacionais, afirmou nesta sexta-feira que as "políticas fracassadas" do atual dirigente do país, George W. Bush, fortaleceram inimigos dos norte-americanos como o Irã e o Hamas.

Respondendo a um comentário feito por Bush na quinta-feira, segundo o qual os interessados em negociar com os iranianos eram iguais aos que propunham fazer concessões aos nazistas antes da Segunda Guerra Mundial, Obama acusou o dirigente de lançar "o tipo exato de ataque pavoroso responsável por dividir o país e nos afastar da comunidade internacional".

Obama também convidou Bush e o candidato presidencial do Partido Republicano, John McCain, para um debate sobre questões de política internacional. A manifestação surgiu um dia depois de o líder norte-americano ter provocado indignação entre os democratas ao falar, no Parlamento israelense, sobre a questão de negociar ou não com o Irã.

McCain, que conquistou a vaga de seu partido nas eleições de novembro, não repetiu na quinta-feira a expressão "fazer concessões". Mas criticou a promessa de Obama de conversar diretamente com inimigos dos EUA, em especial com o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Segundo McCain, Obama precisa explicar por que desejaria conversar com o dirigente do Irã.

- Se George Bush e John McCain desejam realizar um debate sobre como proteger os Estados Unidos da América, esse é um debate do qual eu estaria disposto a participar em qualquer momento, em qualquer lugar. E esse é um debate que eu vencerei porque George Bush e John McCain têm muito pelo que responder - afirmou Obama, em um discurso de campanha proferido em Dakota do Sul.

- Eles precisam responder pelo fato de o Irã ser o maior beneficiário estratégico de nossa invasão do Iraque. Isso, as políticas de George Bush, tornou o Irã mais forte - disse.

- Eles terão de explicar por que o Hamas hoje controla a Faixa de Gaza, o Hamas que se fortaleceu porque os EUA insistiram na realização de eleições democráticas na Autoridade Palestina.

- Esse é o passado de Bush e de McCain quando se trata de proteger este país - acrescentou. - Essas são políticas fracassadas nas quais John McCain pretende insistir.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais