Cúpula AL-UE acertará "medidas imediatas" contra fome

Agência AFP

LIMA - Os líderes de América Latina e Europa firmarão nesta sexta-feira uma declaração na qual se comprometem a adotar "medidas imediatas" para proteger os países mais vulneráveis ao aumento internacional dos preços dos alimentos, segundo a emissora de Lima CPN.

Na Declaração de Lima, aprovada nesta quinta-feira pelos chanceleres, os dois blocos manifestam sua "profunda preocupação com o impacto do aumento dos preços dos alimentos".

O documento destaca a necessidade de "medidas imediatas para aliviar os países mais vulneráveis e as populações mais afetadas pela alta nos preços dos alimentos" por meio de políticas de erradicação da fome e do combate à pobreza.

Os líderes firmarão ainda a Agenda de Lima, que propõe a criação de políticas sociais que impliquem em um "crescimento econômico com impacto distributivo".

A declaração diz que o crescimento precisa ser estável e incorporar explicitamente políticas que observem os objetivos de equidade e inclusão.

No documento, os mandatários concordam em fomentar o bem-estar do povos para alcançar "sociedades mais inclusivas e coesas baseadas no respeito do estado de direito, com prevalência dos direitos humanos, da solidariedade e da igualdade".

A declaração inclui ainda o tema do narcotráfico e prevê um acordo para aprofundar a cooperação em torno deste desafio mundial que representam as drogas, mediante o fortalecimento do mecanismo ALC-UE de coordenação.

A Declaração de Lima será apresentada aos líderes de América Latina e União Européia nesta sexta-feira, durante a Cúpula.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais