Interpol comprova autenticidade de arquivos apreendidos das Farc

REUTERS

BOGOTÁ - A Interpol, agência policial internacional, anunciou nesta quinta-feira que são autênticos os documentos encontrados nos computadores das Farc apreendidos pela Colômbia.

No entanto, a agência não verificou o conteúdo dos arquivos capturados em março, quando um líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia foi morto por forças colombianas em território equatoriano.

A Colômbia convidou a Interpol para fazer testes forenses para assegurar que os três laptops e outros hardware não foram manipulados depois que as tropas colombianas os apreenderam.

- A Interpol concluiu que não houve alteração - disse o chefe da Interpol, Ronald Noble, em uma coletiva de imprensa em Bogotá.

- Mas não é nosso papel avaliar o conteúdo dos documentos - ressaltou.

A Colômbia e autoridades dos Estados Unidos dizem que os arquivos mostram que a Venezuela e o Equador prestam auxílio aos rebeldes.

Os presidentes venezuelano, Hugo Chávez, e o equatoriano, Rafael Correa, negaram as acusações e disseram que elas fazem parte de uma campanha "suja" apoiada pelos EUA.

O presidente colombiano, Alvaro Uribe, se tornou o maior aliado dos americanos na América Latina. A Venezuela e o Equador são seus maiores críticos.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais