Presidente sírio diz que país está preparado para o pior

Agência EFE

DAMASCO - O presidente sírio, Bashar al-Assad, afirmou que seu país está 'preparado para o pior', em referência a uma possível guerra com Israel, mas considerou que essa alternativa parece distante agora, informou hoje o canal de televisão libanês 'Al-Manar'.

Segundo a emissora - porta-voz do grupo xiita libanês Hezbollah -, Assad disse em uma conferência com vários intelectuais árabes em Damasco que 'ninguém descarta a alternativa de uma guerra, mas há discussões sobre se Israel lançará uma guerra contra o Líbano e a Síria ou se os Estados Unidos lançarão uma guerra contra o Irã'.

- Sabemos que na Administração americana há quem prefira a opção bélica. Mas vemos a situação atual e não acreditamos que haja uma guerra próxima - disse Assad.

O presidente explicou que 'depois da guerra do Líbano (entre julho e agosto de 2006 contra Israel), nos sentimos mais jovens, enquanto que Israel entrou na etapa da velhice. Ali, já questionam a existência da identidade (israelense) e seu destino'.

O líder sírio criticou ainda os Estados Unidos e acusou o país de pretender transformar o Irã em inimigo dos árabes. Além disso, disse que Washington deseja semear o conflito confessional nos países árabes e exemplificou com o papel dos EUA na crise do Líbano, que se encontra sem presidente desde novembro pelas divergências entre os membros do Parlamento.