Papa celebra 5ª missa em estádio de Washington

REUTERS

WASHINGTON - No terceiro dia de sua visita aos Estados Unidos, o papa Bento 16 vai celebrar missa no novo estádio de beisebol de Washington, falará a educadores católicos e se encontrará com líderes de cinco religiões não-cristãs.

Mais de 45 mil católicos que conseguiram os disputados ingressos vão lotar o estádio Nationals Park para a primeira das duas missas a serem celebradas por Bento 16 nos EUA. A outra, no domingo, será no estádio Yankee, em Nova York. O pontífice já falou duas vezes da sua 'profunda vergonha' pelo escândalo de pedofilia no clero norte-americano, que desde seu surgimento, em 2002, abalou a imagem da Igreja no país e obrigou as dioceses dos EUA a pagarem 2 bilhões de dólares em indenizações.

Seu discurso a diretores de universidades e escolas católicas levou a especulações na imprensa de que ele vai criticar os educadores por não defenderem os ensinamentos católicos e não imporem adequadamente os códigos morais da Igreja.

Mas até agora o pontífice evita as polêmicas, preferindo passar uma mensagem otimista às platéias, mesmo quando manifesta preocupação com certas questões. Especialistas prevêem que eventuais críticas serão brandas.

- Meu palpite é de que Bento 16 poderia apresentar uma declaração forte sobre o caráter da Igreja, mas provavelmente não o que eu chamaria de recriminação - disse Timothy Matovina, diretor do Centro Cushwa para o Estudo do Catolicismo Americano, da Universidade de Notre Dame.

- Há visões variadas sobre a conveniência de uma recriminação. A minha é de que temos algumas preocupações, mas como um todo as faculdades e universidades católicas oferecem um serviço soberbo à Igreja, aos católicos e à sociedade -disse.

A Igreja controla 251 instituições de ensino superior nos EUA, sua maior concentração mundial, mas muitas delas são ocupadas há décadas por professores e alunos leigos. Isso cria entre alguns dirigentes eclesiásticos o medo de que a rede católica de ensino perca sua identidade específica e se torne praticamente igual às instituições laicas.

A reunião inter-religiosa, habitual nas viagens pontifícias, colocará Bento 16 junto com 220 membros das religiões judaica, muçulmana, jainista, budista e hindu. Um líder sikh foi proibido pelo Serviço Secreto dos EUA de participar do encontro porque insistiu em usar o 'kirpan', uma adaga cerimonial que deve ser portada por todo membro batizado dessa religião indiana.