Polônia e Israel homenageiam heróis do Gueto de Varsóvia

Agência EFE

VARSÓVIA - Os presidentes da Polônia, Lech Kaczynski, e de Israel, Shimon Peres, lembraram nesta terça-feira na capital polonesa o heroísmo dos judeus do Gueto de Varsóvia, que há 65 anos se rebelaram contra os nazistas para não serem levados para campos de concentração.

- Nosso país quer vingança, mas uma vingança diferente, nós desejamos paz, esta é nossa vingança, a vingança dos filhos da luz frente aos filhos da escuridão - declarou Peres no ato de homenagem que aconteceu diante do monumento construído em memória dos heróis do Gueto, no Centro de Varsóvia.

Kaczynski afirmou que 'os soldados do Gueto não lutaram pela vitória, mas pela honra, com uma carência total de meios, mas com grande coragem, uma coragem que nunca devemos esquecer'.

Os dois chefes de Estado depositaram coroas de flores diante do monumento, após a comunidade judaica recitar o Kadish, prece em memória dos mortos.

No entanto, o momento mais emocionante não foi protagonizado pelos chefes de Estado, mas pelos veteranos poloneses e judeus, especialmente Marek Edelman, o último sobrevivente dos líderes do levante, que esteve acompanhado de sua família na homenagem ao movimento, do qual participou há 65 anos.

O Exército da Polônia prestou uma homenagem especial aos milhares de judeus que participaram do levante e aos soldados israelenses que integravam as Forças Armadas polonesas durante o conflito, muitos dos quais realizaram atos de bravura que hoje foram relembrados com respeito.