Medo e esperança cercam as eleições paraguaias

Agência ANSA

ASSUNÇÃO - O candidato presidencial opositor Fernando Lugo é o favorito para vencer as eleições do próximo domingo no Paraguai, de acordo com a maioria das pesquisas.

No entanto, alguns acreditam na derrota da Aliança Patriótica para a Mudança (APC, em espanhol), já que o Partido Colorado controla a máquina estatal há mais de 60 anos e poderia fraudar as votações deste dia 20.

A mais recente pesquisa de intenção de voto foi feita pelo jornal "Última Hora", que no domingo registrou Lugo em primeiro, com 34,5% das preferências, seguido do militar Lino Oviedo, com 28,9%, e da colorada Blanca Ovelar, com 28,5%.

A diferença que gira em torno dos 6% também foi constatada pela pesquisa do jornal ABC Color, o de maior venda no país, que divulgou os seguintes dados: Lugo com 34%, Blanca com 27,4% e Oviedo com 24,6%.

Misteriosamente, foi publicada hoje uma sondagem pelo Última Hora que dá a liderança para Blanca Ovelar, candidata do governo, que aparece com 41% das intenções de voto, superando Lugo, com 36%, e Oviedo com 17%.

Em entrevista à ANSA, o analista político Edwin Brítez comentou que as eleições no país têm forte influência do Partido Colorado.

- Os colorados têm mais poder do que todas as demais forças. Seus seguidores consideram o voto um dever, ainda mais agora que está em jogo a permanência do partido no poder e a sua própria sobrevivência -disse Brítez.

Chamou o Partido Colorado de "clientelista", uma vez que busca resultados "sem se importar com os meios".

Essa é talvez a maior preocupação da oposição, que alerta para possíveis manipulações do Superior Tribunal Eleitoral, dominado pelo PC.

Há em todo o país um temor pelas fraudes, mas ao mesmo tempo uma confiança de que a APC possa superar os inconvenientes e dar um fim aos 61 anos de poder colorado.

- A fraude será derrotada no 20 de abril - garantiu à ANSA Aníbal Carrillo Iramain, presidente do Movimento do Tekojojá (Igualdade, em guarani), grupo que lançou a candidatura de Lugo após ele ter renunciado ao sacerdócio em 2006.

Uma fonte da APC informou que, segundo pesquisa encomendada pela própria coalizão, Lugo ganhará com 35% dos votos, enquanto Oviedo terá 24% e Blanca 20%.