Novo Parlamento espanhol inicia trabalhos com nova configuração

Agência EFE

MADRI - Foi constituída hoje a nona legislatura do Parlamento espanhol, resultado das eleições de 9 de março e na qual o socialista José Luis Rodríguez Zapatero continuará sendo presidente do Governo, enquanto o líder conservador Mariano Rajoy permanecerá como chefe da oposição.

O socialista José Bono, ex-ministro da Defesa, foi eleito presidente do Congresso dos Deputados, a Câmara Baixa do Parlamento, em uma segunda votação, após não conseguir na primeira a maioria absoluta necessária por não ter obtido o apoio dos nacionalistas bascos e catalães.

Bono precisou de uma segunda rodada de votações secretas por não obter os 176 votos que configuram a maioria absoluta do Congresso, formado por 350 assentos, o que o transforma no primeiro presidente desta Câmara a não ter o apoio majoritário.

Na primeira votação, o ex-ministro recebeu 168 votos de apoio, ou seja, oito a menos que o necessário para alcançar a maioria absoluta exigida e que todos os seus antecessores tinham conseguido.

A candidata alternativa proposta pelo Partido Popular (PP) para ocupar a Presidência da Câmara Baixa, Ana Pastor, obteve 152 votos.

Bono foi eleito em segunda votação, com 170 votos. A necessidade de recorrer a uma segunda rodada se deveu às reservas que o ex-ministro da Defesa provoca nos partidos nacionalistas catalães e bascos.

Seu companheiro de partido Javier Rojo foi eleito por maioria absoluta como presidente do Senado.

Antes de dar por constituído o Congresso, Bono pronunciou um discurso no qual disse que assume seu cargo com a promessa de atender a todos por igual, principalmente às minorias, e de ser justo, convencido de que a principal regra desta Câmara é a de que "ninguém é mais que ninguém".

Além da incorporação de Bono como presidente, o Congresso dos Deputados, fruto das eleições de 9 de março, apresenta outras novidades, como o rejuvenescimento da bancada popular com a nomeação como porta-voz da deputada Soraya Saénz de Santamaría, de 36 anos, considerada muito próxima a Rajoy.

Saénz de Santamaría substitui no cargo um veterano político e ex-dirigente regional do PP, Eduardo Zaplana.

O rejuvenescimento da bancada popular se completa com José Luis Ayllón, de 37 anos, Cayetana Álvarez de Toledo, 33 anos, e Fátima Báñez e Alfonso Alonso, ambos com apenas 40 anos.

O Partido Socialista (PSOE) também introduziu uma mudança significativa à frente de seu grupo parlamentar com a nomeação como porta-voz de José Antonio Alonso, ministro da Defesa na última legislatura.

Segundo os analistas, com a nomeação de Alonso, ao qual Zapatero conhece desde criança, o líder socialista pretende propiciar uma legislatura menos tensa que a anterior que transcorreu entre uma enorme disputa política e um permanente enfrentamento com o Partido Popular.