Situação de crianças é Congo é grave, diz Unicef

Agência EFE

GENEBRA - A situação das crianças no leste da República Democrática do Congo é 'muito grave', apesar dos acordos de paz de janeiro passado, com o recrutamento por grupos armados e a violência sexual como principais ameaças, denunciou hoje o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

No total, 563 mil pessoas se viram deslocadas de seus lares no norte de Kivu desde o início de 2007, devido aos combates entre grupos rebeldes, disse hoje Julien Harneis, representante do Unicef no país africano.

- Os acordos de paz nos deram esperanças de que alguns dos deslocados pudessem retornar a seus lares, mas isto não se tornou realidade, devido à insegurança e aos combates - assinalou em entrevista coletiva o representante do Unicef.

A situação é especialmente grave para os menores, com idades entre 12 e 18 anos, dos quais entre 2 mil e 3 mil foram recrutados à força pelos diferentes grupos armados como crianças-soldado.

Desde o início deste ano, o Unicef conseguiu resgatar 280 crianças-soldado, mas aproximadamente 100 voltaram a ser recrutadas.

Segundo a organização, 7% de todas as crianças da região foram separadas de suas famílias devido aos deslocamentos.

A violência sexual contra mulheres e crianças é outra das grandes ameaças, especialmente na zona do norte de Kivu.

Segundo Harneis, cerca de 3.300 vítimas de estupros receberam ajuda do Unicef em 2007, embora esta seja apenas a metade do total das vítimas.