McCain divulga primeiro anúncio em espanhol nas prévias americanas

JB Online

WASHINGTON - O provável candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, divulgou nesta segunda-feira o primeiro anúncio em espanhol de sua campanha para atrair os eleitores hispânicos.

O anúncio com o título '624787', uma referência ao número oficial de McCain quando combateu como soldado na Guerra do Vietnã, apresenta o candidato como 'o presidente que todos nos Estados Unidos estavam esperando' e destaca sua experiência como militar. McCain aparece primeiro falando em inglês em um comício eleitoral, com legendas em espanhol.

Em seguida, uma voz pergunta em espanhol: 'O que um presidente deve pensar de nós? Dos Estados Unidos?'.

Segundo o comitê do senador pelo Arizona, o anúncio será exibido no Novo México, um Estado vizinho ao seu e governado pelo hispânico Bill Richardson, que anunciou recentemente o seu apoio ao pré-candidato democrata Barack Obama.

Os hispânicos terão um papel importante nas eleições de 4 de novembro, principalmente em estados do sudoeste do país, como Novo México, Colorado e Nevada, todos vencidos em pelo presidente republicano George W. Bush em 2004.

McCain iniciou uma nova fase de sua campanha à Presidência dos Estados Unidos. Ele discursará sobre seus valores morais e se declarará como um 'servidor imperfeito' dos EUA, que nasceu em uma família de guerreiros norte-americanos devotados à honra, à coragem e ao dever. No discurso distribuído previamente à mídia, ele afirma ser filho e neto de almirantes.

- Eles foram meus primeiros heróis e seu respeito por mim foi uma das maiores ambições de minha vida... Eles me mostraram como amar meu país, e isso fez toda diferença para mim', afirmou McCain.

O senador agendou o discurso para hoje, na Universidade do Estado do Mississippi, a primeira parada de sua viagem biográfica de uma semana, que passará por locais importantes de sua trajetória, em um esforço de sua equipe para fazê-lo conhecido como o candidato republicano para a presidência.

No texto, McCain não menciona nenhum de seus possíveis rivais democratas, os pré-candidatos Hillary Clinton e Barack Obama.

Ele também não menciona a Guerra do Iraque, a qual ele é favorável, ou a temas econômicos, como uma possível solução para a crise imobiliária. Os dois temas marcam a divergência entre sua campanha e a dos candidatos democratas.