Farc ameaçam moradores que informarem sobre Betancourt

Agência AFP

BOGOTÁ - A ex-candidata à presidência da Colômbia, Ingrid Betancourt, seqüestrada há quase seis anos pelas Farc, está em grave estado de saúde, nega-se a comer e a tomar medicamentos, e os rebeldes ameaçam de morte qualquer um que tente dar informações sobre ela, afirmou hoje a rádio Caracol, citando um informe militar.

A rádio assinalou que, segundo um informe da inteligência militar, Betancourt "está viva mas se nega a tomar medicamentos e a se alimentar".

Segundo esse relatório, a política colombiana precisa urgentemente de uma transfusão de sangue.

Essa informação coincide com a que foi dada por ex-reféns e habitantes da área, que asseguram que a ex-candidata sofre de leishmaniose, hepatite B e desnutrição severa, e que, além disso, está num quadro de profunda depressão.

O estado de saúde de Betancourt é delicado, apresentando um quadro de diarréia e vômito, assinalou uma pessoa consultada pela rádio Caracol e que há dez dias teve contato com membros das Farc no departamento de Guaviare (sul da Colômbia).

Ainda segundo a Caracol, moradores de Guaviare, onde a franco-colombiana foi vista recentemente, assinalam que Betancourt, devido a seu estado de saúde, foi medicada com Atropina, uma droga para insuficiência cardíaca.

O informe militar acrescenta que membros das Farc estão ameaçando os moradores que informarem ao Exército colombiano sobre a presença na região de Betancourt, seqüestrada desde 2002.