Hillary Clinton afirma que lutará até o fim por candidatura

Agência EFE

WASHINGTON - A pré-candidata democrata à Casa Branca Hillary Clinton declarou hoje, em entrevista ao jornal "The Washington Post", que permanecerá até o fim na disputa eleitoral com seu adversário, Barack Obama.

A ex-primeira-dama e senadora por Nova York afirma que não só pensa em se apresentar nas primárias que ainda serão realizadas em dez Estados como permanecerá na briga até que a questão de Michigan e da Flórida, onde venceu Obama, seja resolvida.

Hillary quer que os delegados ganhos por ela nesses dois estados sejam contados para a nomeação, apesar de o Partido Democrata ter punido Michigan e Flórida proibindo-os de enviar representantes à convenção de Denver (Colorado), já que convocaram primárias antes do previsto.

Caso os delegados dos dois estados sejam considerados válidos, Hillary poderá diminuir a diferença em relação a Obama, que atualmente lidera a disputa com 1.625 votos dentro do partido, frente aos 1.486 assegurados pela senadora, segundo dados da "CNN".

Na entrevista de hoje, Hillary descarta taxativamente as sugestões para abandonar a corrida eleitoral.

Na sexta-feira, o democrata Patrick Leahy, uma das pessoas mais influentes do Senado por ser presidente da Comissão de Justiça, pediu à ex-primeira-dama que desista da candidatura, já que não tem chances de ganhar.

Horas antes, o presidente do Partido Democrata, Howard Dean, tinha expressado seu desejo de que a legenda tenha um candidato presidencial até 1º de julho. O político disse ainda que não quer que o nomeado seja escolhido na convenção de agosto.