Observadores dizem ter havido fraude nas eleições do Zimbábue

Cris Chinaka, REUTERS

HARARE - Observadores africanos afirmaram neste sábado terem descoberto mecanismos de fraude nas eleições do Zimbábue, listando mais de oito mil eleitores que, aparentemente, não existem.

Marwick Khumalo, chefe do parlamento pan-africano, disse que em um dos distritos eleitorais, 'chamou a atenção o fato de que, entre 24.678 votos registrados, mais de 8.450 foram registrados na área 081083... Que é uma região deserta, com esparsas casas de madeira'.

Em uma carta à Comissão Eleitoral do Zimbábue (ZEC, na sigla em inglês), vista por jornalistas, ele disse que mais 70 pessoas foram registradas em um território vazio na mesma área.

- Levando em consideração que houve muitas reclamações dos partidos de oposição, em relação ao fato de que a ZEC imprimiu aproximadamente 50% mais cédulas que o número real de eleitores registrados, a missão gostaria de solicitar que a ZEC se explique o mais rápido possível - disse ele. Autoridades da ZEC não estavam disponíveis para comentar o assunto.

Tendai Biti, secretário-geral do principal partido de opsição, o MDC, disse que partido também encontrou 'eleitores-fantasma' na área de Harare. Bitti já acusou o partido ZANU-PF, do presidente Robert Mugabe, de planejar fraudes sistemáticas para mantê-lo no poder, incluindo votos múltiplos de seus seguidores.