Irã pede fim de combates no Iraque e diz que eles ajudam EUA

REUTERS

TEERÃ - O Irã pediu o fim dos combates entre as forças do governo do Iraque e os militantes xiitas, para que não haja nenhum 'pretexto' para as tropas norte-americanas ficarem no país.

O primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, ele próprio um xiita, lançou nesta semana uma ofensiva contra a milícia Exército Mehdi na cidade de Basra, no sul do Iraque. Os combates se espalharam e expuseram um profundo racha entre a maioria xiita no Iraque.

- A República Islâmica do Irã não considera os recentes conflitos no Iraque como sendo de interesse do povo daquele país, e pede um fim rápido para as lutas - disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Ali Hossein.

Falando à agência de notícias Irna, ele pediu 'a continuação do diálogo para encontrar maneiras de estabelecer a paz, a estabilidade e a segurança'.

Ele acrescentou que, ao evitar os embates, 'o povo iraquiano afasta qualquer pretexto para a permanência ilegal dos ocupantes'.