Família incinera seu corpo de equatoriano morto em operação colombiana

Agência EFE

QUITO - A família de Franklin Aisalla, afastada do alcance da imprensa, incinerou neste sábado o corpo do equatoriano abatido no dia 1º de março durante o bombardeio militar colombiano a um acampamento clandestino das Forças Armadas Revolucionária da Colômbia (Farc) no Equador.

Os parentes de Aisalla evitaram o contato com a imprensa, pedindo que os jornalistas respeitassem a decisão da família de deixar seu luto longe de microfones e câmeras. A cremação do corpo de Aisalla foi realizada em um cemitério do Valle de Los Chillos, nos arredores de Quito.

Antes da incineração, a família de Aisalla ofereceu, em particular, uma missa em memória do morto na Funerária Girón, situada no centro da capital, onde o corpo do equatoriano foi velado desde a tarde da sexta-feira, após os trâmites legais legistas.

Vários ativistas de esquerda também foram ao local para dar apoio à família de Aisalla.