Exército venezuelano destrói pistas clandestinas do narcotráfico

Agência AFP

CARACAS - O exército venezuelano, junto com a Oficina Nacional Antidrogas (ONA), iniciou nesta sexta-feira uma operação de cinco dias para destruir pistas clandestinas de pouso usadas pelo narcotráfico na fronteira.

A Venezuela está entre "o maior produtor (de cocaína) e o maior consumidor do mundo, nossa responsabilidade é diminuir o trânsito das drogas ilícitas que passam pelo país", disse Néstor Luis Reverol, presidente da ONA, durante a apresentação da operação.

Segundo Reverol, foram descobertas 67 pistas no Estado de Apure (Oeste), na fronteira com a Colômbia.

De acordo com o Departamento de Estado americano, a quantidade de cocaína que passa pela Venezuela aumentou em até 30 toneladas anuais desde 2002. Em 2006 eram 300 toneladas.

O presidente Hugo Chávez ordenou em julho de 2005 a suspensão do convênio de cooperação com a DEA, a agência antidroga dos Estados Unidos, depois de acusar seus agentes de envolvimento no narcotráfico na espionagem.

Em sua última visita a Bogotá, o chefão antidrogas dos Estados Unidos, John P. Walters, acusou Chávez de ser um "importante facilitador do narcotráfico".