Francesa que pediu eutanásia se suicidou com barbitúricos

JB Online

PARIS - A francesa Chantal Sébire, cujo caso relançou o debate sobre a eutanásia na França, após ela ter pedido à Justiça o direito de morrer, se suicidou com barbitúricos, segundo os resultados dos exames anunciados hoje pelo procurador que investiga o caso.

A mulher, que tinha um tumor incurável que lhe causava muitas dores, apareceu morta em seu domicílio, perto de Dijon, em 19 de março, dois dias depois de um tribunal negar o pedido que recebesse a eutanásia ativa.

O procurador de Dijon, Jean-Pierre Alacchi, disse hoje que os exames toxicológicos que tinha ordenado revelaram que a francesa absorveu uma 'dose mortal' de barbitúricos.

A autópsia ordenada pelo Ministério Público não tinha esclarecido as causas da morte, por isso Alicchi pediu exames complementares sobre substâncias encontradas no corpo de Sébire.