Brasileira suspeita de assassinar iraniano é detida em Madri

Agência EFE

ESPANHA - A brasileira Edislane T.A., de 24 anos, foi detida pelo suposto assassinato de um milionário iraniano de 82 anos em sua casa em uma luxuosa região de Madri. As informações são da Polícia espanhola.

O crime aconteceu no último dia 19 de março e, segundo os primeiros indícios, não houve um movimento claro no ataque, que pode ter sido ação de uma pessoa perturbada, já que a detida tentou agredir outra pessoa minutos após supostamente matar o idoso.

A agressão aconteceu quando a vítima, Manouchehr Farhanghi, iraniano naturalizado espanhol, que fez fortuna com a fundação de um colégio internacional em Madri, abriu a porta de sua casa e recebeu uma punhalada no abdômen.

A esposa do homem escutou gritos do andar superior e, ao descer, encontrou seu marido gravemente ferido.

Segundo a Polícia, a primeira pista que levou à identificação da brasileira foi obtida pelo fato dela detida ter comprado facas em um centro comercial próximo ao local do crime minutos depois do ataque ao iraniano.

O empregado da loja explicou à Polícia que achou estranha a atitude de uma mulher estrangeira que, em evidente estado de nervosismo, comprou algumas facas.

Os policiais revisaram as gravações das câmaras de segurança que registraram parte do trecho percorrido pela suspeita e sua saída da loja em um táxi.

Segundo investigações, durante o percurso de táxi, a jovem manteve o nervosismo, e chegou até a dar uma facada em um homem jovem, durante a parada do carro em um sinal de trânsito.

A brasileira voltou ao táxi e o motorista decidiu levá-la a um posto da Guarda Civil, onde foi detida.

Mais tarde, os agentes do departamento de homicídios que investigam a morte do iraniano souberam da detenção da mulher, e suspeitaram que ela pudesse ser a pessoa que buscavam.

A partir da reconstrução dos fatos, foi deduzido que após apunhalar Farhanghi, a agressora supostamente fugiu correndo e vestiu casaco e óculos, que estão sendo analisados pela Polícia, para tentar encontrar traços de sangue da vítima.