Sarkozy chega a Londres para visita de Estado de dois dias

Agência EFE

LONDRES - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, chegou hoje ao aeroporto de Heathrow, em Londres, para iniciar uma visita de Estado de dois dias ao Reino Unido, onde se reunirá com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e será hóspede da rainha Elizabeth II. Sarkozy, acompanhado por sua esposa Carla Bruni, foi recebido ainda na descida do avião pelo príncipe Charles e pela duquesa de Cornualha, Camilla. Bruni, vestida com um casaco cinza e chapéu de mesma cor, despertou grande atenção da imprensa.

Após sua chegada a Heathrow, por volta de 8h25 (horário de Brasília), Sarkozy, acompanhado pelo herdeiro da Coroa britânica, foi ao castelo de Windsor, nos arredores de Londres, onde será recebido com honras pela rainha Elizabeth II e pelo duque de Edimburgo. Sarkozy e Bruni serão hóspedes de honra da Rainha no castelo de Windsor, onde permanecerão uma noite e onde será oferecido, ainda hoje, um banquete de Estado.

Hoje também, por volta das 13h00 (Brasília), o chefe de Estado francês falará para as duas câmaras parlamentares - Comuns e Lordes - antes de se reunir com os dois líderes da oposição inglesa, o conservador David Cameron e o liberal-democrata Nick Clegg. Amanhã, último dia de sua visita, Sarkozy conversará com Brown na residência oficial de Downing Street, onde os políticos conversarão sobre o possível envio de forças extras ao Afeganistão, a crise financeira global e sobre a construção de novas usinas nucleares.

Após a reunião, os líderes políticos visitarão o estádio do clube inglês Arsenal, Emirates Stadium, onde darão uma entrevista coletiva. Antes de retornar à França, Sarkozy entregará à velejadora britânica Elle MacArthur a condecoração da Legião de Honra no 'Old Royal Naval College de Greenwich', no sul de Londres, e oferecerá uma recepção na embaixada da França para a comunidade francesa que reside no Reino Unido. A última vez que um presidente francês visitou o Reino Unido foi em 2004, quando Jacques Chirac foi ao país, no centenário da Entente Cordiale, acordo assinado em abril de 1904 que pôs fim a anos de rivalidades coloniais entre as duas nações.