Fujimori é examinado por médicos em julgamento por suposta apatia

Agência EFE

LIMA - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori (1990-2000) foi submetido a um exame médico para analisar a apatia da qual sofre ultimamente durante as audiências do julgamento que enfrenta por violações aos direitos humanos, ao qual compareceu sem meias.

Os médicos determinaram que "seu estado geral é estável, dentro dos parâmetros normais", disse hoje à Agência Efe um porta-voz do Poder Judiciário.

Ele explicou que o ex-governante, de 69 anos, será examinado de novo, em data não especificada, por um cardiologista para determinar se os inchaços que apresenta nos tornozelos estão ligados à hipertensão que Fujimori sofre há anos.

As medidas se deram depois que, na audiência de segunda-feira, o ex-presidente foi flagrado dormindo em duas ocasiões perante o tribunal, obrigando o juiz César San Martín a chamar sua atenção.

O porta-voz médico também indicou que a sonolência que Fujimori apresenta e que o afeta especialmente quando demora a chegar o recesso para que se alimente também será considerada nos exames a que será submetido e, em função dos mesmos, serão sugeridos novos horários para as audiências.

- Peço desculpas ao tribunal porque dormi na sessão anterior, devo confessar que tenho um problema nas pernas - disse hoje o ex-chefe de Estado, que foi visto durante a audiência sem meias e descalço.

O ex-congressista Luis Delgado Aparicio indicou que Fujimori não pode usar meias, já que apertam demais seus pés e tornozelos devido ao inchaço, segundo declarações citadas pela "Radio Programas del Perú" ("RPP").

Os fujimoristas, que cogitam pedir que o ex-presidente compareça ao julgamento de sandália, denunciaram em várias oportunidades as condições carcerárias às quais o acusado é submetido, mas o Poder Judiciário considera que as mesmas são apropriadas.