Chávez defende criação de uma Otan para América do Sul

REUTERS

RECIFE - Ao desembarcar na base aérea de Recife, onde se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o líder venezuelano, Hugo Chávez, defendeu a criação de uma Organização do Tratado do Atlântico Sul para a defesa da região.

- O plano de Bolívar era esse, uma aliança não só política e econômica, mas militar também, para assegurar a nossa independência nesse mundo de neo-imperalismo e guerras preventivas - disse Chávez, nesta quarta-feira.

- Porque não criamos a Otas, como existe a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) - acrescentou o presidente venezuelano.

Chávez lembrou os 14 anos de sua saída da prisão após uma frustada tentativa de golpe de Estado que ele classificou como um levante contra o Consenso de Washington e o neo-liberalismo.

- Eu era um galho solitário, agora somos vários galhos. Estamos ganhando a batalha - disse Chávez aludindo à integração do continente.

Segundo o presidente venezuelano, está em marcha um novo pensamento na América Latina. Ele elogiou a recente resposta do ministro da defesa do Brasil, Nelson Jobim, ao secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates.

- Creio que lhe perguntaram o que Washington podia fazer na formação desse conselho de defesa, e ele respondeu: 'nada, porque quem está fazendo é a América do Sul'.

MERCOSUL

No encontro que terá no fim da tarde com o presidente Lula, Chávez falou que irá tratar de temas de conjuntura, como o recente conflito entre Colômbia e Equador, e o Mercosul. Chávez acrescentou que a Venezuela já se sente parte integrante 'de corpo e alma' ao Mercosul.

Sem mencionar a não aprovação pelo Congresso brasileiro da entrada da Venezuela no bloco sul-americano, Chávez fez uma defesa veemente dessa integração.

- (A Venezuela) se integra a essa dinâmica para formar na nossa grande América do Sul um pólo de força, um pólo de poder mundial, para alcançar o equilíbrio em um mundo pluripolar - destacou o presidente venezuelano.

REFINARIA

Indagado se o acordo sobre a refinaria Abreu e Lima na região do porto de Suape, em Pernambuco, seria finalmente assinado neste encontro com Lula, Chávez mostrou-se otimista.

- Trouxemos tudo pronto, vamos sentar para discutir várias questões, entre elas a refinaria, um projeto de 4 bilhões de dólares no qual Venezuela está disposta a participar.

A refinaria, parceria da Petrobras com a estatal venezuelana de petróleo PDVSA, deve começar a operar em 2011 e vai processar até 200 mil barris diários de petróleo pesado.