Putin e Mubarak assinam acordo de cooperação para energia atômica

JB Online

MOSCOU - Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e do Egito, Hosni Mubarak, participaram hoje da cerimônia de assinatura de um acordo de cooperação para o uso pacífico da energia nuclear entre os dois países. O documento foi assinado na residência de Putin em Novo-Ogaryovo, nos arredores de Moscou, pelo diretor-geral da agência atômica russa Rosatom, Sergei Kiriyenko, e pelo ministro da Eletricidade e Energia egípcio, Hasan Younis, informaram agências russas.

Segundo o embaixador do Egito na Rússia, Issat Al-Sayyed, o acordo 'permitirá à parte russa participar da licitação para a construção de um reator nuclear para gerar energia elétrica em território egípcio'. O diplomata, que estimou em dez o número de países com os quais o Egito assinou acordos similares, antecipou à agência 'Interfax' que o resultado da disputa para a construção do reator será divulgado nos próximos meses. Especialistas da antiga União Soviética participaram da construção de instalações nucleares no Egito, e agora oferecem uma central atômica de terceira geração.

Segundo os analistas dos dois países, a Rússia tem bastantes possibilidades de vencer a licitação. O diplomata egípcio defendeu a transparência do Egito nesse campo, e disse que seu país colabora com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e que é signatário do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), que permite o uso pacífico da energia atômica. O acordo bilateral também permitirá que analistas egípcios possam realizar estudos de especialização nos institutos de educação superior russos.

Em outubro de 2007, Mubarak anunciou o começo de um programa para a construção de várias usinas nucleares destinadas à geração de energia elétrica. Atualmente, o Egito depende de gás e de estações eólicas para gerar eletricidade, mas também dispõe de reservas de petróleo e gás. O antigo líder egípcio Gamal Abdel Nasser iniciou o programa nuclear de seu país, mas foi obrigado a suspendê-lo depois da derrota sofrida pelo Egito para Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967.

Mubarak, que chegou na segunda-feira a Moscou para uma visita de três dias, também deve se reunir com o presidente eleito russo, Dmitri Medvedev, e com o primeiro-ministro Victor Zubkov, segundo fontes oficiais russas. A Rússia já coopera no desenvolvimento do programa nuclear iraniano ao fornecer urânio e participar da construção de sua primeira central atômica, e também assinou acordos para as instalações de reatores na China e em outros países.