Tripulação completa com sucesso missão do Endevour

Agência EFE

MOSCOU - A tripulação do ônibus espacial americano Endeavour concluiu neste domingo com sucesso a quinta e última caminhada da atual missão, e já se prepara para o retorno à Terra, após duas semanas na Estação Espacial Internacional (ISS).

Os americanos Robert Behnken e Michael Foreman foram os responsáveis por realizar o último trabalho extraveicular e dar por encerrada a atual missão STS-123, que transcorreu sem incidentes.

- Os astronautas permaneceram no espaço aberto durante 6 horas e dois minutos - disse um porta-voz da agência espacial americana Nasa, citado pela russa 'Itar-Tass'.

A saída deste domingo representou um novo recorde de cinco caminhadas para uma nave americana, isso porque o Endeavour permanecerá em órbita durante 16 dias, quando o normal são três caminhadas em 11 a 12 dias.

No total, os astronautas da missão STS-123 terão passado 33 horas e 29 minutos no espaço externo.

Behnken e Foreman, que saíram neste domingo ao espaço externo quase uma hora antes do programado, cumpriram todas as tarefas atribuídas, especialmente a complexa mudança de um guindaste do interior da nave até uma viga da ISS.

Para isso, o braço robótico da ISS retirou o guindaste de quinze metros de comprimento da nave e o colocou ao alcance dos dois astronautas, que puderam assim fixá-lo no exterior da plataforma orbital.

A razão desta manobra é que o próximo segmento do laboratório japonês Kibo, que chegará à ISS a bordo do Discovery em maio, é muito grande - tem o tamanho de um ônibus - e ocupará quase todo compartimento de carga dessa nave, e com isso esta não terá guindaste próprio.

É por isso que a Nasa decidiu deixar o guindaste de inspeção na ISS até que o Kibo, um projeto de US$ 100 bilhões com a participação de 16 nações, seja instalado definitivamente na plataforma orbital.

Os astronautas também conectaram um cabo de calefação que impedirá que os sensores e câmeras de laser do guindaste congelem, e inspecionaram a junta rotatória projetada para que girem, como pedais, os dois painéis de energia solar a boreste da nave.

A Nasa ainda não conseguiu determinar a causa exata dos problemas nesta junta de 3 metros de largura, na qual um astronauta encontrou em outubro passado acúmulo de pó metálico.

Além disso, Behnken e Foreman realizaram outros trabalhos para acomodar o módulo Harmony, e colocaram um contêiner junto ao módulo europeu Columbus para a realização de experimentos no espaço aberto.

O especialista de missão Richard Linnehan coordenou todas as atividades de dentro do complexo formado pelo Endeavour e pela ISS, que orbita a cerca de 380 quilômetros da Terra e a 26.000 km/h.

Durante os doze dias desde que o Endeavour se acoplou à plataforma, seus tripulantes instalaram o primeiro dos três segmentos do módulo científico japonês Kibo e o sistema robótico canadense Dextre.

Junto com o laboratório europeu Columbus, instalado em meados de fevereiro pela tripulação do Atlantis, o Kibo permitirá aumentar o potencial de pesquisa científica da ISS, segundo a Nasa.

O sistema Dextre tem a aparência semelhante ao tronco do corpo humano com dois braços, e pode realizar tarefas delicadas, incluindo algumas que, até agora, exigiam incursões de astronautas no espaço externo.

Agora, após algumas horas de descanso, a tripulação da nave americana preparará o retorno do Endeavour, que se desacoplará da ISS em 25 de março e aterrissará na Terra em 27 do mesmo mês.

A atual missão, a 25ª das naves à ISS, esteve a cargo do experiente comandante Dominic Gorie, que tem como piloto o astronauta Gregory Johnson.

Os outros tripulantes são os especialistas Richard Linnehan, Robert Behnken, Mike Foreman, Garrett Reisman e o astronauta japonês Takao Doi.

Reisman permanecerá a bordo do complexo que orbita a Terra a quase 400 quilômetros de altura, em substituição do astronauta Léopold Eyharts, que voltará à Terra no Endeavour.

Os atuais ocupantes da ISS, além de Eyharts, são a comandante Peggy Whitson e o cosmonauta russo Yuri Malenchenko.

A próxima expedição à plataforma orbital, a 17ª, partirá da base cazaque de Baikonur em 8 de abril e incluirá os russos Serguei Volkov e Oleg Kononenko, e a primeira astronauta sul-coreana, Yi So-yeon.