EUA advertem Rússia contra independência de Abkházia e Ossétia do Sul

Agência EFE

TBILISI - Os Estados Unidos advertiram neste sábado a Rússia contra o reconhecimento da independência de regiões separatistas como a Abkházia e a Ossétia do Sul, que romperam laços com a Geórgia há 15 anos depois de guerras civis.

- Se a Rússia reconhecer a Abkházia e a Ossétia do Sul, será um grande erro de sua parte - afirmou o secretário de Estado adjunto americano, Daniel Fried, em declarações à emissora georgiana "Rustavi-2'.

Fried considera que o reconhecimento russo da independência desses dois territórios traria 'muitos problemas' para a própria Rússia.

- Os EUA defendem a integridade territorial da Geórgia e apóiam uma solução pacífica para os conflitos dentro das fronteiras georgianas internacionalmente reconhecidas - disse o americano.

Para Fried, 'a solução desses conflitos não é um assunto simples'.

A Duma (Câmara dos Deputados russa) chamou, na última sexta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, e seu Governo a reconhecer a independência da Abkházia e da Ossétia do Sul.

Os deputados pediram ao Governo russo a abertura de missões nesses dois Estados, o aumento dos esforços para garantir a segurança na região e que a simplificação ao máximo dos procedimentos para os que queiram atravessar a fronteira entre a Rússia e esses territórios.

Para a Duma, essas repúblicas 'têm muito mais argumentos para querer o reconhecimento internacional do que o Kosovo'. A Câmara afirmou que os planos da Geórgia de entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a impedem de consolidar seu território.

Tanto Abkházia quanto Ossétia do Sul, que romperam laços com a Geórgia após as guerras civis, se dirigiram no início de março à Rússia e à toda a comunidade internacional para que reconheçam sua independência.

Em seguida, Moscou restabeleceu as relações comerciais com a Abkházia, decisão que a Geórgia interpretou como um estímulo ao separatismo.

Tanto o líder da Abkházia, Serguei Bagapsh, quanto o da Ossétia do Sul, Eduard Kokoity, têm grandes esperanças de que a Rússia reconheça sua independência, após o Kosovo ter de autoproclamado independente da Sérvia em 17 de fevereiro.

No entanto, o ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, já afirmou que Moscou não tem intenção de reconhecer a independência dessas regiões.

Além disso, Putin afirmou no mês passado que a Rússia não aceitará novos membros sob sua proteção, já que representariam um aumento na 'carga financeira'.

A Geórgia acusa a Rússia de apoiar a Abkházia e a Ossétia do Sul em suas aspirações de independência e de praticar uma política de "anexação soterrada', através da concessão em massa da cidadania russa aos habitantes da região.

A Rússia advertiu que a independência unilateral do Kosovo, à qual se opôs desde o princípio, abrirá a 'caixa de Pandora' das questões separatistas da Europa.