Israel e Alemanha apoiam conferência contra armamento nuclear do Irã

Agência EFE

JERUSALÉM - Israel e Alemanha fizeram um acordo para impulsionar a convocação de uma conferência internacional destinada a tentar deter os supostos planos do Irã para ter acesso a armamento atômico, informa nesta sexta-feira o jornal 'Haaretz'.

Segundo o periódico, a idéia responde a uma iniciativa do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que recebeu o apoio da chanceler alemã, Angela Merkel, durante sua visita a este país.

De acordo com o 'Haaretz', seriam convidados para a conferência Estados Unidos, Rússia, China e os países europeus, além de Estados árabes aliados do Ocidente e preocupados com os supostos planos armamentistas iranianos.

Entre esses países árabes estariam Arábia Saudita, Jordânia e os Emirados Árabes Unidos.

O 'Haaretz', que cita uma fonte governamental israelense que não identifica, ressalta que o objetivo da conferência seria reforçar a pressão diplomática que a comunidade internacional exerce sobre o Irã através das resoluções adotadas contra o regime de Teerã pelo Conselho de Segurança da ONU.

O jornal não diz quando e onde se realizaria a reunião, mas assegura que o princípio de sua convocação é um dos acordos que Olmert e Merkel fizeram durante a histórica visita que a chanceler alemã fez esta semana a Israel.

Após ressaltar o sentimento de culpa que a Alemanha arrasta pelo genocídio nazista de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial, a chanceler alemã afirmou na terça-feira em discurso perante o Parlamento israelense que a atual amizade entre seu país e Israel representa 'um dos milagres da História'.