Centenas de pessoas protestam queimando bandeiras chinesas em Paris

Agência EFE

PARIS - Centenas de pessoas se manifestaram hoje em Paris para protestar contra a repressão aos que reivindicam a independência do Tibete e para pedir boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim, em um ato em que foram queimadas bandeiras chinesas.

Os manifestantes, convocados pela chamada 'Comunidade Tibetana da França', se reuniram primeiro na Praça Trocadero e a partir dali desfilaram até a Torre Eiffel, na frente de turistas.

Os participantes do protesto levavam bandeiras com o lema 'Tibete livre' ou 'China mente, o Tibete morre' e fotografias de pessoas que se identificavam como vítimas da 'repressão' das autoridades chinesas.

Alguns deles levavam camisetas com a imagem do presidente da China, Hu Jintao, e a mensagem: 'Procurado por invasão, ocupação e genocídio no Tibete'.

Entre os presentes na manifestação, estava o ex-ministro da Cultura francês, o socialista Jack Lang, que denunciou à imprensa a "complacência e a covardia adicional' da posição oficial de Paris sobre a atual crise do Tibete.

Lang pediu que o presidente francês, Nicolas Sarkozy, convide para visitar Paris, e rapidamente, o líder espiritual do Tibete no exílio Dalai Lama, cujo nome foi alvo de elogios por parte de muitos manifestantes.

Os participantes da manifestação previram uma nova concentração na próxima segunda-feira em frente à sede do Ministério de Assuntos Exteriores francês, também em Paris, para forçar a França a endurecer sua posição em relação à China.