Ministro sérvio acusa ONU de querer impor lei marcial em Kosovo

Agência EFE

BELGRADO - O ministro sérvio para o Kosovo, Slobodan Samardzic, acusou nesta quinta-feira a Missão das Nações Unidas para o Kosovo (Unmik) de querer impor a lei marcial no norte do autoproclamado país.

Em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo jornal 'Novosti' de Belgrado, o ministro diz ter provas de que agentes da Unmik atiraram na segunda-feira passada contra civis sérvios em Mitrovica, o que causou os incidentes nos quais morreu um policial da ONU e houve mais de 130 feridos.

Samardzic afirma que seu ministério pediu ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, uma 'investigação neutra' sobre o incidente no norte de Mitrovica, o principal centro urbano sérvio do Kosovo.

- Temos fortes provas para a investigação, gravações, balas tiradas dos corpos dos feridos, cápsulas de balas dos franco-atiradores que dispararam contra os sérvios. Temos provas de que alguém quis provocar o conflito e um estado de guerra no Kosovo - diz o ministro.

O porta-voz da Unmik, Alexander Ivanko, acusou os sérvios de ter provocado as desordens, disparado e jogado granadas contra os efetivos da ONU, e afirmou que entre os manifestantes havia policiais da Sérvia.

Os confrontos entre as forças internacionais e centenas de manifestantes sérvios ocorreram depois que juízes e outros ex-empregados sérvios ocuparam um tribunal no norte da cidade de Mitrovica, em protesto contra a independência do Kosovo.