China se preocupa com reunião de Dalai Lama e premiê britânico

REUTERS

LONDRES - A China informou na quarta-feira estar seriamente preocupada com uma declaração do premiê britânico, Gordon Brown, de que se encontraria com o líder espiritual tibetano exilado, o Dalai Lama, quando ele visitar a Grã-Bretanha em maio.

O Ministério do Exterior chinês pediu à Grã-Bretanha que entenda a 'face verdadeira' do Dalai Lama e não dê apoio a ele, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

- A China está seriamente preocupada com a mensagem (os comentários de Brown) - afirmou o porta-voz do Ministério do Exterior, Qin Gang, de acordo com a Xinhua.

- Como nós repetidamente alertamos, o Dalai é um refugiado político engajado em atividades para dividir a China, sob a camuflagem da religião - disse Qin.

O premiê chinês, Wen Jiabao, acusou o Dalai Lama de planejar os protestos contra a China no Tibet, os quais culminaram em tumultos nos quais dezenas podem ter morrido. O Dalai Lama nega as acusações.

- Vou me reunir com o Dalai Lama quando ele estiver em Londres - disse Brown ao Parlamento na quarta-feira. - Acho importante que todos nós facilitemos as discussões (sobre o Tibet).