Colômbia identifica feridos na Venezuela como membros das Farc

REUTERS

BOGOTÁ - A Central de Inteligência da Colômbia identificou na sexta-feira como integrantes da guerrilha Farc dois homens que apareceram feridos em hospitais da Venezuela. Bogotá deve pedir a extradição de ambos.

Os supostos guerrilheiros teriam sido baleados em confronto com as forças colombianas e foram atendidos numa clínica da localidade venezuelana de El Rubio (oeste), segundo fontes oficiais.

Um deles seria Freddy Martínez Mendoza, o 'Lucas', chefe da frente 38 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, cuja base de operações é no Departamento ñEstadoí colombiano de Arauca, que faz fronteira com a Venezuela.

- Ele participou da ocupação do município de Hato Corozal, no Departamento do Casanare, na explosão de torres, extorsões e recrutamento', diz um relatório do Departamento Administrativo de Segurança (DAS).

- Há gravações entre guerrilheiros nas quais se dão instruções para que a pessoa ferida seja transladada a um hospital da Venezuela para seu atendimento - afirma o DAS.

Inicialmente circularam versões de que Martínez Mendoza era Joaquín Gómez, integrante do secretariado das Farc, o máximo órgão de direção política e militar da guerrilha.

A segunda pessoa é José Antonio Ortiz, ou 'Jaime', acusado de rebelião, segundo a Central de Inteligência colombiana.

Durante a recente crise desencadeada por uma ação militar colombiana em território equatoriano, Bogotá acusou Caracas de apoiar as Farc financeiramente, o que o governo de Hugo Chávez nega.