Bush condena assassinato de arcebispo católico no Iraque

Agência EFE

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, condenou, nesta quinta-feira, o assassinato do arcebispo católico de rito caldeu de Mossul, Boulos Faraj, chamando-o de 'desprezível ato de violência'.

O corpo do arcebispo católico foi encontrado, nesta quinta-feira, no bairro de Al-Intisar, no sudoeste de Mossul, a 400 quilômetros ao norte de Bagdá, com várias marcas de tiros.

O arcebispo foi seqüestrado, em 29 de fevereiro deste ano, também em Mossul, durante uma ação que provocou a morte do motorista do veículo, no qual viajava, e a de seus dois guarda-costas.

Em comunicado, Bush enviou suas condolências à comunidade caldéia e ao povo iraquiano e declarou que 'os terroristas continuarão perdendo no Iraque porque são selvagens e cruéis'.

- Vamos continuar colaborando com o Governo iraquiano para proteger e apoiar os civis, sem levar em conta sua filiação religiosa - prometeu o presidente americano.