Obama diminui diferença para Hillary em Ohio, diz pesquisa

REUTERS

WASHINGTON - Barack Obama, pré-candidato do Partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos, ganhou terreno nesta segunda-feira para as prévias do Estado de Ohio, nas quais enfrenta a pré-candidata Hillary Clinton.

Ao mesmo tempo, porém, a campanha pela vaga democrata no pleito de novembro adquiriu tons menos positivos.

A uma semana das votações potencialmente decisivas em Ohio e no Texas, em 4 de março, uma pesquisa da Universidade Quinnipiac com prováveis eleitores democratas aponta que Hillary lidera a corrida com 51 por cento das intenções de voto (contra 40 por cento para o adversário).

Os números são preocupantes para Hillary, senadora pelo Estado de Nova York, porque a menos de duas semanas a vantagem dela era de 55 por cento contra 34. O fenômeno indica que o bom momento vivido por Obama pode render-lhe frutos também em Ohio.

A senadora precisa de vitórias folgadas no dia 4 de março para salvar sua campanha, que viu a pré-candidata sofrer 11 derrotas consecutivas para Obama, senador pelo Estado de Illinois.

O clima de "já ganhou" existente entre os simpatizantes de Hillary sofreu um abalo com as vitórias recentes do pré-candidato, e há boatos em Washington de que a senadora não conseguiria manter-se como um candidato viável caso perca novamente em Ohio e no Texas.

Segundo Robert Nova, um colunista conservador do The Washington Post, líderes mais idosos do Partido Democrata perguntavam-se:

- Quem dirá para ela que está tudo acabado, que ela não conseguirá conquistar a vaga para concorrer à Presidência e que, o quanto antes desistir, maiores serão as chances do partido de derrotar o senador John McCain (republicano) em novembro?

Hillary, que manteve um debate bastante civilizado com Obama na quinta-feira, passou os últimos dias acusando o adversário de realizar discursos muito esperançosos mas carentes de propostas palpáveis.

- Eu poderia me levantar aqui e dizer: 'Vamos juntar todo mundo, vamos nos unir'. E o céu se abrirá, a luz descerá, os coros celestiais cantarão e o mundo será perfeito - disse a pré-candidata em um comício realizado no domingo.

Uma foto de Obama vestido como um líder ancião somali -- com um pano branco na cabeça e um robe da mesma cor - provocou um debate ao ser divulgada pelo site Drudge Report na segunda-feira.

Junto da imagem, o site publicou uma matéria afirmando que a foto havia sido colocada em circulação por integrantes do comitê de campanha de Hillary.

Os assessores de Obama ficaram indignados.

Segundo o Drudge Report, a foto foi tirada em 2006 e mostra Obama, que lidera as prévias democratas neste momento, vestido com roupas típicas durante uma visita a Wajir, uma área agrícola do leste do Quênia. Obama tem sido alvo de boatos sobre ele ser muçulmano, o que não é verdade.

- No dia em que a senadora Clinton faz um discurso sobre recuperar o respeito pela América no mundo, o comitê de campanha dela envolve-se no mais vergonhoso e boateiro ato praticado por qualquer um dos partidos nesta eleição - disse David Plouffe, chefe do comitê de campanha de Obama.

A diretora da campanha de Hillary, Maggie Williams, afirmou em um comunicado: "Basta".

- Se a campanha de Obama deseja sugerir que essa foto dele usando roupas tradicionais provoca conflitos, então os assessores dele deveriam ter vergonha. Hillary Clinton usou roupas tradicionais ao visitar outros países e teve fotos dela vestida assim divulgadas amplamente - afirmou Williams.