Uribe diz que não haverá operação militar em área de entrega de reféns

Agência EFE

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, garantiu hoje que não haverá operações militares na região em que, aparentemente, serão libertados quatro ex-parlamentares que são mantidos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Além disso, o governante pediu a entrega rápida do grupo, dado o delicado estado de saúde de pelo menos um deles.

"O Governo veio melhorando sua inteligência. Estamos no processo de localizar todos os seqüestrados e esta foi uma localização humanitária, porque o que se busca é que a libertação seja acelerada e que (as Farc) não tenham desculpas. Que não lhes ocorra dizer agora que há operações militares', disse o presidente.

Ao fazer essas declarações, Uribe se referia à libertação dos ex-parlamentares Gloria Polanco, Luis Eladio Pérez, Orlando Beltrán e Jorge Eduardo Gechem Turbay, que deve acontecer numa região isolada do departamento de Guaviare.

"Houve uma localização. Sabemos onde eles estão. Mas não há operações militares, porque precisamos que eles sejam libertados', reiterou Uribe ao fazer um discurso em Puerto Carreño, capital do departamento de Vichada, no leste do país.

O presidente acrescentou que o serviço de inteligência sabe que "a saúde do senhor Gechem é grave'. Além disso, manifestou seu desejo de que a guerrilha 'liberte rápido' o ex-senador para que este possa receber o atendimento médico necessário.