Secretário dos EUA acha que seu país não entrará em recessão em 2008

Agência EFE

TÓQUIO - O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, disse neste sábado em Tóquio que está convencido de que os Estados Unidos 'continuarão crescendo em 2008' e não cairão, portanto, em recessão, como temem muitos operadores das bolsas.

Ao término da cúpula do G7, Paulson se mostrou, em entrevista coletiva, certo da 'boa saúde a longo prazo' da economia americana, apesar da 'correção' no setor da habitação, dos altos preços do petróleo e das 'turbulências' das bolsas de valores.

Segundo o secretário do Tesouro americano, foi fundamental o milionário plano de estímulo econômico aprovado pela Casa Branca, no valor de mais de US$ 150 bilhões, que oferecerá um 'muito necessário impulso'.

Os ministros de Finanças do G7 analisaram em sua cúpula em Tóquio a influência para a economia mundial de um possível arrefecimento da economia americana, e das turbulências das bolsas de valores, que parecem estar longe de acabar.

"As atuais turbulências financeiras são sérias e persistentes. Embora os mercados financeiros estejam melhorando, levará tempo para sair das atuais turbulências financeiras', disse o responsável americano, que, no entanto, disse que as 'bolsas se recuperarão deste período de estresse'.

Segundo Paulson, 'uma das lições' das atuais tensões das bolsas de valores é 'a necessidade crescente de uma comunicação freqüente e de uma coordenação próxima em tempos de estresse, para formular as respostas adequadas de política econômica a fim de fazer frente a uma possível recorrência dos mesmos problemas'.