Inverno rigoroso mata mais de 750 pessoas no Afeganistão

REUTERS

CABUL - Mais de 750 pessoas morreram como resultado de frio severo e nevascas pesadas neste inveno no Afeganistão, disse uma autoridade do governo neste sábado.

A pior frente fria em décadas no montanhoso e empobrecido país da Ásia central também matou 230.000 cabeças de gado, afirmou Noor Padshah Kohistani, da Comissão de Gerenciamento de Desastres Nacionais.

- Ao redor do país, 763 pessoas morreram desde o início do ivnerno, vítimas do clima frio e das fortes nevascas - disse ele à Reuters.

As nevascas destruíram mais de 500 casas e danificaram outras 40.000, disse a comissão em comunicado.

Nas áreas mais afetadas, que incluem as províncias ocidentais de Herat e Bradghis, algumas pessoas tiveram que sofrer amputações após terem partes do corpo congeladas, informou a imprensa local.

Várias famílias venderam suas crianças recentemente por não terem condições de alimentá-las, segundo os jornais.

Muitas estradas que ligam distritos a capitais das províncias foram bloqueadas por causa da neve, atrasando a entrega de suprimentos.

A morte do gado é considerada uma grande perda no Afeganistão, país agrícola que depende fortemente de assistência internacional.

Em face de um inverno rigoroso que elevou os preços dos alimentos a níveis recordes, o programa de alimentação das Nações Unidas solicitou, no mês passado, mais assistência alimentar para 2,55 milhões de afegãos até a próxima colheita de safra em junho.