Scotland Yard apresenta relatório sobre assassinato de Bhutto

Agência EFE

LAHORE - Uma equipe da Scotland Yard chegou nesta quinta-feira a Islamabad para apresentar às autoridades paquistanesas seu relatório sobre as causas da morte da líder opositora Benazir Bhutto, vítima de um atentado em 27 de dezembro, informou a emissora de TV 'Dawn'.

Quatro membros da equipe que investigou o atentado chegaram hoje à capital do Paquistão, onde devem se reunir com o inspetor geral da Polícia de Islamabad, Chaudhry Abdul Majid, informou uma fonte do Ministério do Interior.

Milhares de seguidores de Bhutto se concentraram hoje no mausoléu onde ele foi enterrada em Naudero, na província sudeste de Sindh, para rezar pela opositora.

A líder do opositor Partido Popular do Paquistão (PPP) morreu no dia 27 de dezembro de 2007 em um atentado após um comício eleitoral na localidade de Rawalpindi, vizinha de Islamabad.

Depois que o PPP e a família de Bhutto questionaram os resultados preliminares da investigação da Polícia Paquistanês, o Governo aceitou a ajuda de especialistas da Scotland Yard.

Os policiais britânicos passaram várias semanas no Paquistão em janeiro investigando o local do atentado, conversando com testemunhas e analisando a arma usada para matar Bhutto, com a missão de determinar qual foi a causa de sua morte.

O Governo do Paquistão se reservou o direito de divulgar ou não o relatório da Scotland Yard.

A família de Bhutto não permitiu uma autópsia em seu corpo.