Sarkozy processa site por insinuar envio de mensagem à sua ex-mulher

Agência EFE

PARIS - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, entrou, nesta quinta-feira, com uma ação contra o site da revista 'Le Nouvel Observateur', que assegurou que o chefe de Estado tinha enviado uma mensagem de celular a sua ex-mulher pedindo que voltasse para ele, oito dias antes de se casar com a cantora Carla Bruni, informou seu advogado.

O processo denuncia crimes de falsificação e receptação pelo artigo publicado nesta quarta-feira no site, indicou o advogado de Sarkozy, Thierry Herzog, em comunicado. Segundo Herzog, o crime de falsificação é definido no código penal como 'toda e qualquer alteração da verdade dos fatos'.

- A informação dada é falsa porque essa mensagem nunca foi enviada pelo presidente Sarkozy a sua ex-mulher - afirmou o advogado à rádio "France Info'.

O site do 'Le Nouvel Observateur' afirmava, nesta quarta-feira, ontem que Sarkozy tinha enviado uma mensagem de celular a Cécilia Ciganer-Albéniz, na qual dizia: "Se você voltar, cancelo tudo". A mensagem foi enviada, segundo o site, oito dias antes do casamento de Sarkozy com Carla Bruni, no último sábado.

Sarkozy e Cécilia viveram juntos durante 20 anos - 11 deles casados oficialmente - e se divorciaram em outubro do ano passado. Um mês depois, o presidente conheceu a cantora e ex-modelo Carla Bruni. Segundo o advogado de Sarkozy, a Procuradoria de Paris abrirá uma investigação judicial.

- Quem divulgou essa informação deverá apresentar a prova do que afirma. Se não o fizer, algo que não duvido, será constatado que cometeu uma infração - assegurou Herzog.

O advogado afirmou que o presidente deve ser tratado 'como um cidadão normal, nem acima nem abaixo da lei' e que os meios de comunicação não podem pensar que por causa de seu cargo, não moverá ações judiciais.

- São fatos extremamente graves que provocaram um dano considerável à imagem de Sarkozy, e por isso ele vai pedir reparação - disse Herzog.