Chade: Presidente diz perdoar voluntários da ONG Arca de Zoé

Agência EFE

PARIS - O presidente do Chade, Idriss Déby, disse hoje que, se o Governo francês pedir, está disposto a 'perdoar' e indultar os seis voluntários franceses da ONG Arca de Zoé condenados por tentar levar mais de cem crianças africanas à França no final do ano passado.

"Estou disposto a lhes perdoar', disse Déby, entrevistado pela emissora 'Europe 1'.

O líder do Arca de Zoé e outros cinco membros da ONG estão presos na França, onde a sentença de oito anos de trabalhos forçados dada pela justiça chadiana por tentativa de seqüestro de menores foi transformada pela francesa em oito anos de prisão.

Após assinalar que todo ano concede esse tipo de 'favor' a milhares de condenados, Déby afirmou que isso faz parte de suas prerrogativas constitucionais.

"Do que me adianta, do que 'nos' adianta' ter esses franceses em prisão na França?, se perguntou o presidente chadiano.

Perguntado se o 'perdão' prometido ocorreria imediatamente, o presidente do Chade respondeu: 'absolutamente', mas depois acrescentou que não pode agir por iniciativa própria, dependendo do Governo francês, em virtude dos acordos de cooperação judicial entre os dois países.