ONU alerta que 95 mil refugiados vivem em situação precária no Sudão

Agência EFE

CARTUM - O Alto Comissariado de Refugiados da ONU (Acnur) disse hoje que cerca de 95 mil refugiados etíopes, eritreus e somalis enfrentam uma situação precária em campos do leste do Sudão.

O alerta foi feito pela diretora de Proteção Internacional do Acnur, Erika Feller, em entrevista coletiva na sede do organismo internacional, em Cartum, ao término de uma visita ao Sudão.

Segundo ela, entre esses deslocados há muitas crianças e adolescentes que 'não têm nenhuma possibilidade de acesso aos estudos, apesar de muitos deles desejarem fazê-lo'.

Além disso, Feller pediu aos refugiados para que registrem seus nomes na sede do organismo mundial, apesar da maioria deles não possuir documentos de identificação.

Ela lembrou também que o visto de permanência no Sudão de um grande número de deslocados da vizinha Eritréia expirou, mas que estes 'não podem ser repatriados porque a situação na Eritréia não o permite'.

Segundo Feller, o Acnur 'não tem países para acolher esses refugiados'.