Hillary e Obama prevêem maratona eleitoral para os democratas

Agência AFP

CHICAGO - Tanto Hillary Clinton quanto Barack Obama reivindicaram a vitória na noite da "Superterça", quando 24 estados americanos realizaram primárias, mas como nem um nem outro teve um claro triunfo, a feroz disputa pela indicação do partido Democrata ainda pode durar mais algumas semanas.

Do lado republicano, John McCain, vencedor em nove estados - entre eles os cobiçados California e Nova York -, poderia ter levado a candidatura, mas seus adversários Mitt Romney e Mike Huckabee, representantes da direita conservadora, defenderam bem suas opções. Juntos, os dois pré-candidatos prevaleceram em 12 estados.

- Se isso tiver que durar até junho, durará até junho - declarou o diretor da campanha de Obama, David Plouffe, acrescentando: sua equipe dispõe de fundos e doadores suficientes para sustentar o esforço.

Howard Wolfson, que coordena a campanha de Hillary, disse, por sua vez, que esta "é apenas mais uma etapa no caminho para Denver", Colorado, cidade onde em outubro acontecerá a convenção do Partido Democrata, que definirá oficialmente quem será o candidato à presidência.

- Para os dois meses que se aproximam, temos um caminho que nos trará os 2.025 delegados necessários para conseguir a candidatura na convenção democrata - declarou Guy Cecil, encarregado de operações na equipe da ex-primeira-dama.

A equipe de campanha de Hillary admitiu nesta quarta-feira que a disputa democrata pela candidatura à Casa Branca poderá acabar antes, em uma convenção partidária em agosto.

Wolfson disse que, devido ao sistema proporcional democrata de designação de delegados por estado, "é provável que nenhum grupo obtenha uma grande vantagem de delegados" durante o processo de primárias.

- Assim sendo, todos aqueles que desejam que a batalha chegue até a convenção, com nenhum dos grupos sendo capaz de se impor antes disso, têm a chance de ficarem satisfeitos - afirmou.

O coordenador de campanha de Hillary explicou que a competição poderia continuar "cabeça a cabeça" nos próximos estados, como Virginia e Maryland (cujas primárias acontecem na próxima terça-feira), mas que sua pré-candidata terá vantagem quando a disputa chegar a Ohio e Texas.

- Acho que estamos em primeiro lugar -na corrida, afirmou.

- Acho que será muito difícil para o senador Obama alcançar esta vantagem.

Ao todo, Hillary Clinton conseguiu 900 delegados, para a convenção partidária, contra 824 de Obama. Apesar disso, ele venceu em 13 estados, cinco a mais do que a ex-primeira-dama. Ambos já deram início a uma guerra na mídia.

O estrategista de campanha de Barack Obama, David Axelrod, se declarou "muito feliz" pelo "impulso" conseguido pelos resultados da Superterça.

O senador do Illinois, que arrecadou 32 milhões de dólares para apenas um mês de campanha em janeiro, pode ainda sonhar com a liderança da corrida democrata.

Além disso, Obama coleciona apoios importantes e vem avançando aos poucos nas pesquisas de intenção de voto.

Enquanto sua equipe de campanha exibia apenas um otimismo prudente, o lado de Hillary distribuia abraços e felicitações.

- Acho que todos concordam sobre o fato de que esta noite pertence a Hillary, ela ganhou os grandes estados, California, Nova Jersey, Nova York - destacou o presidente de sua equipe de campanha, Terry McAuliffe.

- Ela possui recursos para permanecer competitiva - afirmou, descartando um eventual rombo nas contas de campanha da senadora.

Especialistas acreditam que o duelo democrata continuará até que os grandes estados de Ohio (centro-leste) e Texas (sul) votem no dia 4 de março, ou até abril, quando acontecem as primárias na Pensilvânia (nordeste).