Supremo Tribunal de Israel autoriza restrições energéticas a Gaza

Agência AFP

JERUSALÉM - O Supremo Tribunal de Israel autorizou o governo a continuar restringindo o fornecimento de combustível e eletricidade à Faixa de Gaza, por considerar que as quantidades abastecidas satisfazem as necessidades humanitárias vitais para o território.

Duas organizações não governamentais israelenses, o Centro Jurídico para a Liberdade de Circulação (Gisha) e o Centro Jurídico para os Direitos da Minoria Árabe em Israel (Adalah), entraram com um recurso judicial contra as restrições governamentais.

- Essa decisão permitirá ao governo israelense continuar não cumprindo deliberadamente as atenções aos direitos dos civis da Faixa de Gaza, violando o direito internacional - afirmaram as ONGs.

A Corte anunciou, na autorização, que "as quantidades de combustível que o Estado prevê abastecer, assim como as provisões de eletricidade, bastam atualmente para responder às necessidades humanitárias vitais da Faixa de Gaza".

Israel impõe, desde 17 de janeiro, um bloqueio à Faixa de Gaza, sob controle do movimento islamita radical Hamas, em represália aos disparos de foguetes contra seu território.

Após inúmeras críticas internacionais, Israel aliviou suas medidas de restrição. Os representantes do governo israelense se comprometeram, em 27 de janeiro, a restabelecer "o fornecimento de combustível à central elétrica de Gaza, com 2,2 milhões de litros por semana".