Japão instala duas plataformas de lançamento de escudo antimísseis

Agência EFE

TÓQUIO - O Japão instalou nesta quarta-feira outras duas plataformas de lançamento de mísseis nas proximidades de Tóquio para avançar na formação de seu escudo antimísseis, criado para proteger a capital de um eventual ataque norte-coreano, informou a agência local 'Kyodo'.

O novo dispositivo de defesa, situado na base das Forças Aéreas de Autodefesa em Takeyama (sudoeste da capital), é o terceiro deste tipo que o Japão instala em torno da cidade no último ano, e conta com duas plataformas de lançamento terrestres de mísseis balísticos para Patriot Advanced Capability (PAC-3), e de um veículo especial equipado com um sistema de acompanhamento.

O primeiro destes dispositivos foi instalado em março do ano passado na base de Iruma, ao noroeste de Tóquio, e o segundo em novembro na base de Narashino, ao leste da capital.

Além disso, o Governo está procurando por outro local dentro de Tóquio para proteger o centro da cidade, já que os PAC-3 são de curto alcance e os já instalados não cobririam toda a área da capital.

O Ministério da Defesa japonês informou que estas plataformas de lançamento estão situadas na área metropolitana de Tóquio para "reforçar a defesa na área onde se localizam os centros políticos e de negócios', segundo a agência 'Kyodo'.

No entanto, cerca de 80 membros de organizações civis se reuniram hoje às portas da base de Takeyama para protestar contra a instalação das plataformas de lançamento, porque consideram que não servem para proteger ninguém.

O projeto de blindar o céu do Japão nasceu em 1998, pouco após a Coréia do Norte lançar um míssil de longo alcance ao oceano Pacífico que sobrevoou o território japonês.

Os trabalhos para instalar o escudo antimísseis foram acelerados depois que a Coréia do Norte testou, no dia 5 de julho de 2006, seis mísseis de médio alcance e um Taepodong-2, com autonomia para atravessar o Pacífico e alcançar a costa oeste dos Estados Unidos.