Pré-candidatos republicanos favoritos em pé de igualdade na Flórida

Agência AFP

WASHINGTON - Os dois favoritos na corrida para a candidatura republicana às eleições presidenciais americanas de novembro, John McCain e Mitt Romney, se encontravam praticamente empatados nesta segunda-feira, na véspera das primárias da Flórida (sudeste), etapa crucial no processo de designação do candidato do partido.

O ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani, que há muito tempo surgiu como favorito do campo republicano e que era a grande aposta para estas primárias, aparece nas pesquisas apenas na quarta colocação, longe do senador pelo Arizona e do ex-governador de Massachusetts. É superado até pelo ex-governador do Arkansas, Mike Huckabee.

Estas primárias são as últimas antes da "super-terça" de 5 de fevereiro, quando vinte e três estados, entre eles Nova York e Califórnia, escolherão seu candidato republicano. O vencedor das primárias da Flórida poderá receber um impulso decisivo para a hora da verdade eleitoral.

As primárias também serão realizadas na terça-feira do lado democrata, mas em razão de uma divergência em torno do calendário entre as instâncias locais e a direção nacional do Partido Democrata, nenhum delegado deverá representar a Flórida na convenção nacional democrata, que designará formalmente neste verão (hemisfério norte) seu candidato à eleição presidencial de novembro. Um caso semelhante ao ocorrido no início do mês em Michigan.

McCain recebeu neste final de semana o apoio do governador do estado, Charlie Crist, cuja popularidade se aproxima dos 70%, e do senador pela Flórida Mel Martinez, que possui uma influência muito forte em meio à grande comunidade americano-cubana. Romney, um rico empresário mórmon, recebeu o apoio de Liz Cheney, filha do vice-presidente Dick Cheney.

De acordo com uma pesquisa divulgada no domingo pela rede pública C-Span, McCain e Romney estão empatados com 30% das intenções de voto cada um. Huckabee que não conseguiu repetir sua performance de Iowa está na terceira colocação com 14% das intenções de voto, à frente de Giuliani (13%).

Se os resultados das primárias confirmarem os números desta pesquisa, seria um duro golpe para Giuliani, que não deu muita importância aos primeiros estados para se focar nas primárias da Flórida. Um fracasso no "Sunshine State" (Estado Ensolarado) poderá jogar por terra as ambições presidenciais de Giuliani.

- Estou certo da nossa vitória - afirmou no domingo, em entrevista à rede de televisão CBS.

Os candidatos republicanos à Casa Branca apostam suas fichas nos 9% de eleitores indecisdos para fazer a balança pesar a seu favor.

E todos os meios são válidos. McCain, um herói da guerra do Vietnã, afirmou que seu principal adversário queria a retirada dos soldados americanos do Iraque. Uma posição compartilhada pela democrata Hillary Clinton, ressaltou o senador pelo Arizona.

- Se nós nos rendermos e baixarmos a bandeira, como quer a senadora Clinton, e se nos retirarmos, como quer Romney, será o caos, um genocídio - alertou McCain.

Romney desmetiu que deseje a retirada dos soldados americanos do Iraque e acusou seu rival de querer desviar a atenção dos eleitores. Romney baseou sua campanha na economia, um domínio em que se considera mais competente que McCain.

- Os eleitores não querem ver à frente do país uma pessoa que não entende como funciona a economia - disse.