Piores nevascas em 50 anos prejudicam festas do Ano do Rato chinês

Agência EFE

PEQUIM - Trinta milhões de desabrigados, US$ 865 milhões em perdas, colapso da rede ferroviária e cerca de 40 mortos é o balanço provisório das fortes nevascas na China, que levaram o Governo a decretar hoje o alerta máximo pelo segundo dia consecutivo.

As nevascas, as piores em 50 anos em algumas zonas do centro e do leste, pouco habituados a ver neve no inverno (hemisfério norte), levaram o país à beira do caos no momento em que se prepara para celebrar a chegada do Ano do Rato.

Os bloqueios de estradas, linhas férreas e redes elétricas ocorrem no pior momento, quando muitos no país viajam para se reunir com seus parentes e passar juntos o Festival da Primavera.

A Associação Meteorológica Chinesa declarou ontem e hoje o alerta vermelho devido ao mau tempo, ao indicar que as fortes nevascas que começaram no último dia 12 continuarão e recomendar à população que evite sair de casa nas zonas mais afetadas.

A neve 'afetou gravemente a economia nacional e a vida das pessoas', disse o vice-primeiro-ministro chinês, Zeng Peiyan, que reconheceu a paralisia da rede energética em mais de metade do país, com blecautes em 17 das 30 divisões administrativas.